Ratos de Porão, pra Ficar na Historia!

0
780
Ratos fás Show Memorável no Aniversario da Casa de Cultura São Mateus juntamente com as Bandas de Abertura que foram um Show a Parte

Confira tudo o que rolou no Evento, Por Robério Lima

As comemorações do aniversário da Casa de Cultura São Mateus, teve seu ponto alto no domingo, dia 28/05 quando recebeu um dos nomes mais importantes do Punk/Crossover
nacional (e porque não mundial?).

O Ratos de Porão (que vem comemorando quarenta anos de história, e que atualmente faz uma turnê que celebra os trinta anos do icônico álbum “Brasil”).

Cerberus Attack foi a primeira atração a tomar o palco de Assalto.
Cerberus Attack foi a primeira atração a tomar o palco de Assalto.

O evento também contou com Cerberus Attack e Wiseman (duas formações criadas no lado leste da cidade) e o Xico Picadinho, que também tem sua origem na cidade de São Paulo.

Bem antes do início do evento, já era possível se deparar com punks, headbangers junkies e afins, nas imediações da Casa de Cultura São Mateus. A organização cumpriu os
horários à risca e a Cerberus Attack foi a primeira atração a tomar o palco de assalto.

Os‘filhos’ da Z/L foram impiedosos e mandaram um set list que contou com clássicos como “Welcome To Destruction” do primeiro EP, e “East Side Thrash” do primeiro “full lenght” da banda, e a certa altura, mandaram “Bonded By Blood” (Exodus).

É óbvio que a adrenalina estava nas alturas. Prova disso foi que Marcelinho (guitarra), deixou seu instrumento no palco para fazer parte do “circle pit” com o público, e quando voltou ao seu posto, ainda mandou uma indireta, quando disse que nas apresentações da Cerberus Attack, o público poderia ocupar o palco sem ‘susto’.

Polêmicas a parte, foi mais uma aula dos rapazes que já completam dez anos de correria.

O Xico Picadinho superou as expectativas e saiu do palco muito Aplaudido.
O Xico Picadinho superou as expectativas e saiu do palco muito Aplaudido.

Mesmo com a temperatura baixando gradativamente, a Cerberus deixou o público aquecido para que o Xico Picadinho desse contornos ainda mais brutais ao evento.

Com seu grindcore viceral, arrebataram os mais afoitos em um pandemônio em frente ao palco.

Rolou ate uma Feirinha com os Trampos das Bandas e a galera comprando Fortalecendo Todos.
Rolou ate uma Feirinha com os Trampos das Bandas e a galera comprando Fortalecendo Todos.

O batera Henrick Marques, em certo momento, ressaltou a posição antifascista da banda e deu a senha para que o primeiro coro contra o atual governo ecoasse no recinto.

O set list condensou mais uma aula de brutalidade, e fez com que alguns se “digladiassem” enquanto eram executadas canções como “Altar de Ossos e Carcaças” e “Tudo Esta Apodrecendo”. O Xico Picadinho superou as expectativas e saiu do palco muito aplaudido.

Wiseman, o Power trio mostra ‘tesão’ em estar no Palco
Wiseman, o Power trio mostra ‘tesão’ em estar no Palco

O Wiseman foi a atração seguinte, e também a que mais destoou das demais bandas. O som dos caras não tem uma pegada tão brutal, mas é bastante honesto.

O Power trio mostra ‘tesão’ em estar no palco. Esse que vos escreve, já tinha presenciado uma apresentação dos caras, quando abriram para o Circa Survive no Fabrique Club em São Paulo, estava claro que não faltaria energia no palco.

O público acompanhou o set com atenção. Thiagones (vocal e guitarra), em certo momento deixou claro que apesar da diferença entre o som das bandas, o respeito e a união prevaleciam entre todos.

Os rapazes continuam na correria para divulgar seu debut “Mind Blown”. Quem acompanha a banda sabe que a paixão dos caras é a estrada.
Enquanto o palco era preparado para a atração principal, uma muvuca ia se materializando no interior da Casa de Cultura.
ratosOs que já conhecem os shows do ‘Ratos’, sabem o motivo do alvoroço. Tudo pronto e “Amazônia Nunca Mais” (como sempre!), se torna uma espécie de senha para o mosh violento que se sucedeu a partir de então. Os caras vieram diretamente de Volta Redonda (RJ), quando tocaram em um evento que também contou com o Dead Fish.

Apesar do inevitável cansaço, os músicos entregaram o que se esperava de uma apresentação do Gordo e Cia. “Aids, Pop, Repressão”, “Beber até Morrer” e “Diet Paranoia”, foram somente alguns dos clássicos que permearam à noite fria, que já se fazia presente em São Mateus.

Quando veio “Crucificados Pelo Sistema” todos sabiam que esse seria o numero derradeiro. João Gordo deixa o palco sacramentando o final de um evento que já entrou para a história do bairro.

A Casa de Cultura São Mateus está de parabéns pela organização, e já provou que o bom gosto predomina em sua trajetória. Vida longa a esse recinto!!
>>Confira todas as Fotos do Evento (Acesse…AQUI)

thumbnail_roberio
Resenha pelo Colaborador
Robério Lima, 38 anos, apaixonado por música, literatura e cinema morador da zona leste de São paulo bairro do Jd limoeiro localizado na região do extremo leste da capital paulista. Começou a publicar textos no blog Salada Itinerante.
Atualmente faz colaborações e coberturas de shows nacionais e internacionais para o Big Rock n Roll, atualmente é o mais novo colaborador do Portal cultura leste.