“Mundano”

0
268
“Mundano” apresenta dois soldados a caminho de sua cidade natal após uma experiência bélica. Perdidos, têm como única referência o lugar onde as ruas Esperança e Alegria se encontram. FOTOS/Ricardo Muniz

Palhaços promove o Encontro das Ruas Esperança e Alegria! 

“Mundano” apresenta dois soldados a caminho de sua cidade natal após uma experiência bélica. Perdidos, têm como única referência o lugar onde as ruas Esperança e Alegria se encontram.

Então, entram numa caça às esquinas e necessitam pedir ajuda de quem está pelas ruas, mas não sabem como agir e se questionam se conseguem fazer outra coisa além de lutar e resistir, e encontram no riso o sentido para seguir.

O espetáculo tem uma ficha técnica extensa, que conta, entre tantos talentos do circo contemporâneo
mundano-_-credito_-divulgacao_ricardo-muniz-big_01como os palhaços Adriano Mauriz e Rafael de Barros em cena, com a produção da trupe nômade Exército Contra Nada e com alguns nomes conhecidos dos palcos e das ruas que já têm muita estrada nos pés, como o diretor argentino payaso Chacovachi, uma das principais referências do circo latino-americano, e o figurinista Carlos Gardin, que tem na bagagem a criação de figurinos como do Castelo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura, por exemplo.

Esse processo de criação coletivo, que soma um ano e meio desde o primeiro encontro, continua em um jogo com o público de centros e casas de cultura nas seis apresentações que arrudeiam e cruzam a cidade de São Paulo – começam no extremo leste e terminam na mesma zona, com uma passada pelo centro e pelas regiões sul e norte.

O projeto circense foi contemplado pelo Edital de Fomento ao Circo da Cidade de São Paulo e, logo após a boa notícia, veio a ideia de criar um espetáculo de palhaçaria para crianças, em um formato de circo tradicional.

Só que depois de alguns encontros entre palhaços, da atuação e da direção, “o que era mais verdadeiro para nós, era falar do mundo de hoje, com um humor mais crítico, mais adulto, mais de rua”, conta Rafael sobre os bastidores do processo de criação.

Para Adriano, isso se deu também porque “em sociedade, estamos num momento de desesperança e intolerância, com um tanto de pessoas deprimidas.

Diante desse cenário, escolhemos pelo discurso da cultura de paz vinda da cultura de rua. Quando falamos por procurar pela esperança e pela alegria é pedir por um encontro presencial, é criar possibilidades de encontro para rirmos juntos e criarmos forças para buscar pelas felicidades, no plural, pois são diversas as formas.
É também para juntos refletirmos e dialogarmos sobre como avançar diante de tanta adversidade”.

quando transforma a potência de guerra em potência de riso
“Mundano” (re)pertence e trafega pelas bordas imaginárias criadas para dividir nações. Sem precisar de passaporte, o show circense quase sem falas não é localizável e poderia se passar em qualquer lugar.

“É essa coisa de ser terreno, de ser igual a todo mundo. É o que acreditamos do palhaço, do artista e de não estar acima do povo. Não é que vamos fazer para o povo, o povo somos nós”, enfatiza Rafael.

Em “Mundano” talvez não seja possível nomear: se é palhaço, se é teatro, se é circo, se não é circo, mas é possível afirmar a aposta no riso e na alegria.

Com isso, Adriano comenta sobre dividir a roda com Rafael. “Nossa mistura no palco se dá no gosto do circo como linguagem, porém nossa reflexão sobre o fazer está muito ligada ao processo do teatro de grupo e ao teatro de rua.
Reverenciamos o circo, mas em um novo lugar”, comemora.
Serviço:
“Mundano”
27/6 (quinta) – 10h
Centro Cultural Arte em Construção do Instituto Pombas Urbanas
Endereço: Avenida dos Metalúrgicos, 2.100, Cidade Tiradentes
1/7 (segunda) – 14h
Centro de Memória do Circo no EEP (Encontros de Estudos da Palhaçaria)
Endereço: Avenida São João, 473, Centro
6/7 (sábado) – 14h
Centro Cultural da Penha
Endereço: Largo do Rosário, 20, Penha de França
7/7 (domingo) – 15h
Casa de Cultura Vila Guilherme – Casarão
Endereço: Praça Oscar da Silva, 110, Vila Guilherme
11/7 (quinta) – 15h30
Casa de Cultura M’Boi Mirim
Endereço: Avenida Inácio Dias da Silva, s/nº, Piraporinha
12/7 (sexta) – 16h
Casa de Cultura Raul Seixas
Endereço: Rua Murmúrios da tarde, 211, Itaquera
50 minutos. Classificação: Livre. Entrada gratuita.
Informações ► laslamparinas@gmail.com ► (55 11) 94113-5888
>>Quer Saber Mais ?(Acesse…AQUI)