Clarín Cia de Dança

0
282
Embalado pelas letras do funk, o espetáculo transita pelas transformações do movimento e o surgimento do passinho, retratando como os movimentos culturais periféricos retratam o que vivem, passando pelas revoltas, os abismos sociais, mas também os desejos, os sonhos e a alegria no viver.

Cia de Dança realiza temporada do espetáculo “ou 9 ou 80” em teatros da Cidade

As primeiras apresentações da temporada, acontecem nos dias 07 e 08 de agosto de 2021 (sábado e domingo), às 16:00, no Teatro Paulo Eiró, que fica em Santo Amaro, São Paulo. Nos finais de semana seguintes, as apresentações acontecem no Teatro Alfredo Mesquita (Santana), Teatro Cacilda Becker (Lapa), Teatro Arthur Azevedo (Mooca).

Celebrando a cultura do funk, passando por suas transformações desde que surgiu como movimento até a chegada do passinho, o espetáculo “ou 9 ou 80” reflete sobre como os movimentos culturais periféricos retratam o que vivem, com letras que abordam temas comuns cotidianos, com suas revoltas, abismos sociais, desesperança, mas também vontades, alegria e muita criatividade.

O espetáculo traça um paralelo entre São Paulo e Rio de Janeiro, ao abordar as 9 mortes em um baile funk em Paraisópolis – SP e os 80 tiros no carro de uma família em Guadalupe – RJ, que resultaram na morte de um homem. Acontecimentos que são reflexos de ações desastrosas da Polícia Militar, tratamento comum dado às populações das grandes periferias.

Embalado pelas letras do funk para narrar essa história, “ou 9 ou 80” leva ao palco as vidas dos dançarinos das periferias dessas duas cidades, apresentando as dificuldades na vida de tantos jovens que sofrem diariamente com o racismo, a homofobia, a desigualdade social, e demonstra que, mesmo com tantos obstáculos, essas pessoas encontram nesses acontecimentos, lugares de inspiração e motivação para seguir na luta diária de viver, e viver da arte e da dança.

“A montagem aponta a necessidade do desenvolvimento humano em busca da felicidade contada através das letras do funk e dos corpos dos dançarinos. É um espetáculo que busca reverberar a dança urbana no coração de cada um, e mesmo com todas as dificuldades, celebrar a beleza da vida”, comenta Kelson Barros, que assina a direção artística.

A Clarín Cia de Dança, que tem à frente o diretor, bailarino e coreógrafo maranhense Kelson Barros, é um grupo formado por artistas com vivências na capoeira, breaking, ballet e danças brasileiras, que foi criado em 2009 dando continuidade às propostas do “Núcleo de Pesquisa Igi Ara”.
Com artistas que se juntaram para experimentações em dança, a companhia se dedica atualmente à pesquisa com as danças populares do Brasil.

Kelson Barros, que possui em sua trajetória passagens pelo “Balé Folclórico de São Paulo – Abaçaí”, “Corpo de Baile Jovem do Teatro Municipal de São Paulo” e comissões de frente de diversas escolas
de samba de São Paulo, atualmente é coreógrafo da Comissão de Frente da Escola de Samba Colorado do Brás, curador e produtor de Festivais e Companhias de dança.

Como produtor atuou com os grupos J.Gar.Cia de Dança Contemporânea, Cia. Mariana Muniz, Coletivo Shop Sui e Grupo Zumb.boys. Atualmente produz o Grupo Gumboot Dance Brasil, Trupe Benkady e Trupé Cia de Artes, com os quais foi premiado com Fomento à Dança e ProAc Cultura Negra e Circulação.

Ficha Técnica:
Direção Artística: Kelson Barros | Intérpretes Criadores: Iguinho Imperador, Juju ZL, Mario MLK Bros, Pablinho Idd, André Oliveira DB, Yoshi Mhoroox e Yure Idd | Figurino: Gabriela Araújo | Trilha: Dj Seduty e Yure Idd | Produtor: Dafne Nascimento | Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini | Produção Executiva: Cazumbá Produções Artísticas

Serviço – Temporada do Espetáculo “ou 9 ou 80”
Com Clarín Cia. de Dança
Sinopse: Embalado pelo funk e o passinho, o espetáculo traça um paralelo entre as 9 mortes em um baile de Paraisópolis – SP e os 80 tiros no carro de uma família em Guadalupe – RJ. Um ponto de conexão entre as duas cidades para representar os inúmeros acontecimentos que não são registrados pela mídia, mas que habitam o cotidiano de jovens nas grandes periferias, transitando pelo racismo, homofobia e desigualdade social, mas também por lugares de inspiração e motivação para seguir na luta diária de viver, e viver da arte e da dança. Duração: 50 min
Classificação Etária: LIVRE
Valor: Grátis – retirada de ingressos uma hora antes na bilheteria de cada um dos teatros

Agenda Completa:
Quando: 07 e 08 de agosto de 2021 (sábado e domingo) – Horário: 16:00
Onde: Teatro Paulo Eiró – Endereço: Av. Adolfo Pinheiro, 765 – Santo Amaro, São Paulo – SP, 04733-100 – Telefone: (11) 5686-8440
Quando: 14 e 15 de agosto de 2021 (sábado e domingo) – Horário: 16:00
Onde: Teatro Alfredo Mesquita – Endereço: Av. Santos Dumont, 1770 – Santana, São Paulo – SP, 02012-010 – Telefone. (11) 2221-3657
Quando: 21 e 22 de agosto de 2021 (sábado e domingo) – Horário: 16:00
Onde: Teatro Cacilda Becker – Endereço: R. Tito, 295 – Lapa – São Paulo – SP , 05051-000 – Telefone (11) 3864-4513 ·
Quando: 28 e 29 de agosto de 2021 (sábado e domingo) – Horário: 16:00
Onde: Teatro Arthur Azevedo – Endereço: Av. Paes de Barros, 955 – Mooca, São Paulo – SP, 03115-020 – Telefone: (11) 2604-5558

  • Em caso de alteração na fase de restrições determinada pelo Governo do Estado de São Paulo, em razão da pandemia da COVID-19, as apresentações serão adaptadas para o formato on-line e o grupo fará um informe em suas redes sociais até um dia antes da data de cada apresentação.
    Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini – Cel (11) 99568-8773 – lucigandelini@gmail.com

Mais informações em: www.facebook.com/ClarinCiadeDanca e www.instagram.com/clarinciadedanca
Site: clarinciadedanca.wixsite.com/clarinciadedanca

DEIXE UMA RESPOSTA